• Contato
  • Contato:

Prof. Dr. Antonio Carlos Simões

Possui licenciatura em Educação Física pela Escola de Educação Física e Esporte da USP (1972). Licenciatura em Pedagogia pela Faculdade de Educação Campos Salles (1979). Licenciatura e Bacharelado em Psicologia, e formação de Psicólogo pela Universidade Guarulhos (2001). Mestre em Educação Física pela Escola de Educação Física e Esporte da USP (1987). Doutor em Ciência da Comunicação pela Escola de Comunicação e Artes da USP (1990). Estágios especializados nos Institutos de Educação Física de Madrid (1975) e Moscou (1983). Professor Titular da USP-EEFEUSP (2005).

Coordenador e Pesquisador do Laboratório de Psicossociologia do Esporte LAPSE e do Grupo de Estudos e Pesquisas em Psicossociologia do Esporte GEPPSE da Escola de Educação Física e Esporte da USP. No curso de Bacharelado em Esporte, ministra as disciplinas de Esporte e Psicologia, Esporte e Sociologia. No curso de pós-graduação ministra disciplina e orienta nas áreas de Estudos de Esporte, Pedagogia e Biodinâmica do Movimento Humano, atuando nas linhas de pesquisas: aspectos psicossociais do esporte; aspectos psicológicos da competição infantil, aspectos psicológicos do esporte de rendimento, e desempenho esportivo.

Competitividade e performance esportiva em tenistas profissionais

a conclusão não fica limitada à indicação de um comportamento com melhor performance, e sim, que é possível orientar e obter tenistas bem-sucedidos nos três comportamentos estudados.

Saul Sebastian Orozco GALLEGOS, José Geraldo MASSUCATO, Antonio Carlos SIMÕES, Paulo de Aguiar PROUVOT, Roberto Masaishi Santos YOSHIKAWA

Este trabalho pesquisou as influências da competitividade na performance esportiva individual em 24 tenistas profissionais brasileiros. A tendência comportamental (competidores, determinados e vitoriosos) entre atletas foi identificada através do Questionário de Orientação Esportiva (SOQ) formulado por Gill e Deeter (1988) e as coletas foram realizadas após jogos. A performance foi representada por pontos no “ranking” de entrada da Associação de Tenistas Profissionais (ATP). O levantamento da influência dos comportamentos competitivos na performance esportiva dos tenistas foi realizado através de análise estatística utilizando o método de parecença (Bussab, Miazaky & Andrade, 1990). Os resultados encontrados indicam que a tendência ao comportamento determinado tem uma leve preferência entre os tenistas. Já o comportamento que apresenta uma performance superior não acentuada é obtido por tenistas com tendência ao comportamento competidor. Entretanto, a conclusão não fica limitada à indicação de um comportamento com melhor performance, e sim, que é possível orientar e obter tenistas bem-sucedidos nos três comportamentos estudados.

Acesse o texto completo

http://citrus.uspnet.usp.br/eef/uploads/arquivo/v16%20n2%20artigo3.pdf

Parcerias
Worcester University Biblioteca Digital Vérsila